Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Quercus alerta para problemas no parque eólico da Serra de São Mamede

Mäyjo, 28.01.15

Quercus alerta para problemas no parque eólico da Serra de São Mamede

A instalação de um parque eólico no Alto dos Forninhos, no Parque Natural da Serra de São Mamede, em Portalegre, está a apresentar vários problemas e outros ainda estão a ser analisados, alerta a Quercus (Associação Nacional de Conservação da Natureza).

A associação de defesa do ambiente é favorável à utilização de energias renováveis em vez de energias não renováveis, mas relembra que não têm impactos neutros no ambiente e que os seus efeitos podem até ser negativos. No caso dos parques eólicos os cuidados necessários são acrescidos e a Quercus está contra a implantação de parques eólicos dentro de áreas protegidas.

Uma vez que a instalação dos parques eólicos pode ter efeitos negativos na paisagem, geologia, flora, e fauna das regiões onde são implantados, tais circunstâncias obrigam a que os mesmos sejam objecto de avaliações na sua implantação. No entanto, a Quercus afirma que tal não terá acontecido com o parque eólico do Alto dos Forninhos, onde se prevê que ocorram impactos ao nível da fauna (morcegos e aves sobretudo).

A organização não-governamental acredita também que as populações deveriam ter sido envolvidas no processo que levou à decisão de instalação do parque eólico, na medida em que seria necessária a participação dos cidadãos nos processos decisórios.

Os impactos visuais do parque eólico são alvos de críticas por parte de residentes na zona e existem também alterações ao próprio projecto que não estavam previstas inicialmente. Uma das alterações refere-se ao alargamento da Estrada Municipal 522, algo que a Quercus acredita que poderá provocar um maior impacto na flora e na fauna, através da pressão humana acrescida e da criação de um efeito barreira nessa área.